Shay Hazan – Reclusive Rituals (2021)

“Shay Hazan, músico de Tel-Aviv, é compositor, produtor, baixista e líder de banda. Seu baixo versátil é ouvido com frequência nas rádios nacionais, no coração dos hits mais groovy da atualidade. Tendo começado a produzir este álbum durante o primeiro lockdown (em função da pandemia), o processo criativo se desviou dos projetos anteriores, compondo em casa e enviando as gravações para um baterista em Berlim ou um saxofonista em Tel Aviv para agregar ritmo ou uma melodia adicional.”

Derek Gripper – Billy Goes To Durban (2021)

Em função das medidas preventivas quanto ao Coronavírus, Foi logo depois que as restrições internas de viagem foram levantadas na África do Sul que Derek e seus filhos fizeram uma viagem de quinze horas da Cidade do Cabo para uma pequena fazenda próxima a uma floresta onde seu amigo Guy Buttery estava morando. O plano era gravar a continuação do álbum ao vivo que fizeram anteriormente. Derek levou um gravador analógico com uma caixa de velhas bobinas de fita de cinco polegadas que lhe tinham sido entregues recentemente. Quando chegou, a primeira coisa que fizeram foi pegar as fitas e enrolar uma a uma no gravador. Ao apertar o play, uma surpresa: a fita continha uma gravação antiga realizada no estádio de Durban em 1974, para um sermão do pregador americano Billy Graham, para mais de setenta mil pessoas na África do Sul do Apartheid. Instigado pela curiosidade, Derek lhe enviou um e-mail! E como resultado, obteve uma resposta na qual o pregador falava muito sobre o amor universal. De certa forma, aquilo funcionou como um tipo de as boas-vindas a uma Durban de cinquenta anos atrás. Foi realmente estranho, mas basicamente serviu de inspiração para a composição do álbum em questão.

Derya Yıldırım and Grup Şimşek – Kar Yagar (2019)

“Şimşek é uma espécie de “projeto paralelo” com Derya Yildirim, uma virtuosa musicista do instrumento turco saz, junto com Graham Mushnik (órgão) e Antonin Voyant (guitarra) da Orchestre du Montplaisant e Greta Eacott, compositora e percussionista britânica. Kar Yağar é o álbum de estreia do grupo, após o lançamento do EP Nem Kaldi de 2017, que os colocou no radar da música mundial com sua mistura única de cultura da Anatólia. Canções folclóricas em interpretações psicodélicas funky com vocais hipnotizantes em turco por Derya. O EP foi um aperitivo para o álbum em questão.”

Quetzal – Puentes Sonoros (2021)

Em Puentes Sonoros (Sonic Bridges), a banda vencedora do Grammy East L.A. Quetzal cruza fronteiras físicas e estilísticas para criar um álbum de canções imbuídas de inventividade. Seus músicos estão no centro da prática transnacional e transformadora do filho jarocho (pessoa nascida na cidade de Veracruz/México), unindo a vida rural daquele povo, com as sensibilidades chicanas contemporâneas de luta urbana por liberdade e autodeterminação. O dedilhado das cordas tradicionais e o sapateado percussivo misturam-se propositadamente com o R&B e o batá afro-diaspóricos, extraindo das raízes culturais aos ecos artesanais do futuro. Entrelaçando composições originais com vislumbres sonoros de figuras inspiradoras de Veracruz, esta gravação incorpora uma visão coletiva de mudança positiva.

Zsófia Boros – Local Objects (2016) 

Zsófia Boros é uma violonista húngara com um talento sobrenatural para a música erudita. Em Local Objects ela consegue imprimir um tom íntimo, sussurrante e nítido dada à sua técnica e, claro, ao luxo da produção do álbum. Boros que é perfeitamente apoiada por músicos de calibre e isto fez toda a diferença. O baixo emite uma sonoridade sombria, mas ao mesmo tempo, um sentimento acústico reflexivo. Ela sacrifica ornamentados em detrimento de detalhes que acrescentam sempre em sensibilidade e beleza. As vezes alguns elementos soam meio que estranhos para quem é adepto da tradição brasileira do violão, mas nada é em vão. Aliás, tudo é transformação. Se você as vezes se sente como participante de um mundo sonoro exótico e cheio de melancolia bucólica, talvez tenha sido um pastor turco numa vida passada e certamente se deliciava com o dedilhado dos instrumentos folclóricos turcos nas belas paisagens. É um disco muito espiritual que remete à boas vibrações por mais estranhos que isso possa parecer em alguns momentos.