Eric Clapton – Pilgrim (1998)

Pilgrim foi, à primeira vista, uma tentativa afiada e corajosa de modernizar o som central de Eric Clapton. Você ouve licks sólidos situados entre os valores de produção de R&B predominantes de hoje – teclados e programação de bateria, orquestrações rodopiantes e backing vocals femininos suaves, essas batidas de baixo chocalhantes. Mas o álbum, agora disponível com uma remasterização brilhante de Steve Hoffman via Audio Fidelity, foi muito mais do que isso. Pilgrim era, com exceção de Layla and Other Assorted Love Songs, a gravação mais íntima e francamente honesta que Clapton havia lançado até aquele momento. Este esforço de 1998, o primeiro álbum de material original de Eric Clapton desde Journeyman de 1989, não soa em nada como as personalidades anteriores do inquieto Clapton, como o confortável retrocesso do blues acústico dos anos 1990, o roqueiro MOR dos anos 80 perfeitamente penteado, o calmo e colecionado baladeiro dos anos 1970 ou o frenético experimentalista do rock dos anos 1960.

Ajude-nos dando feedback!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.